Visitantes do Blog!

Kristy Velasquez - O Poder da Escolha

Kristy Velasquez - O Poder da Escolha
Peça o seu e-book e leia essa história emocionante!

Malditos rótulos!

Hoje, gostaria de falar um pouco sobre esse assunto.
Escolhas.
Opções sexuais.


Pecado ou não ser livre amando do jeito que deseja viver?
Se você pesquisar hoje no "you tube", surgem tantos canais de casais gays, que eu fiquei surpresa, devo admitir.
Conhecia alguns e acompanho muito deles sim. Não vejo problema algum nisso. Pra mim, isso não tem a menor importância.

O assunto de hoje é sobre essa loucura toda que as pessoas fazem ao descobrir que alguém é gay.

Tipo, meu Deus, o mundo acabou.
Não existem mais problemas financeiros.
Não existem problemas de violência.
Não existem mais ladrões político corruptos.
Não existe pedofilia nas igrejas entre padres, pastores.

Por quê?
Porque tudo isso se torna uma perfeição, perante alguém que se tornou gay.
Como explicar o inexplicável?
Deixa eu respirar profundamente.... RS.
Ok... Vamos lá!
Acho uma forma idiota que algumas pessoas homossexuais também têm de responder em alguns momentos quando a sua sexualidade é questionada.

“ Acha que eu queria ser gay?
 Eu queria ser gay pra sofrer tanto assim? "

Como assim????Me explica melhor?"
Se pudesse escolher, você iria escolher o quê???? Eu te pergunto.
Não viver a sua vida e ser feliz, por causa do preconceito e obstáculos que a sociedade vem impondo a você?

Pessoas que respondem assim, será que talvez se realmente existisse a tal cura gay, não seriam os primeiros a correr em busca disso?
Mas, daí, você sabe que pensando assim, você mesmo está se colocando como algo ruim e uma doença como os preconceituosos se expressam, não sabe?

Na minha opinião!

Primeiro: Ninguém escolhe ser gay.
Segundo: A pessoa não nasce hétero e no amanhã cansa e diz agora vou ser gay.
Terceiro: Amor não define sexo. Amor é amor. São encontro de almas.
Quarto: Parem de se rotular. E parem de aceitar rótulos. Coisa mais chata. 

Gente. Liberdade!
Liberte-se de rótulos.
De prisões.
De medos.

E não, você não é obrigado também a se posicionar perante a sociedade por sua opção sexual. Para com isso também.
Porque se você não se posicionar está tendo preconceito com você mesmo. Cada um é cada um, devemos respeitar. 
Infelizmente, muitas pessoas são julgadas por não usarem uma bandeira indicando sua sexualidade. 
O cúmulo da ignorância.
O que quero dizer é que não importa se você é homem e ama uma mulher e vice-versa. Ama? Quer construir uma família? Ter filhos? Procriar como manda a bíblia e as regras da sociedade? O faça. Quem está te impedindo?

Você ama uma mulher e é uma mulher. Se tornou pior que outra pessoa por isso?
Nunca. O amor é lindo, simples, divino e respeitoso.
Sinta. Apaixone-se. Apenas viva esse amor e se for sincero e está vivendo com a alma e o coração.
Você é homem e se apaixonou por outro homem. De quem é o problema? É meu? É de você que acha errado. 
E desculpe, corrigindo. Problema???? Que problema? Desde, quando isso é problema?
Desde quando amar é um problema?

Estou aqui hoje te falando;

Liberte-se e seja feliz como deseja ser. Não importa nada. Nada.
E acredite sua opção sexual não te define ser ou não uma boa pessoa.
Se tem direito ou não a ser feliz.
Se pode amar ou não ser amada.
E você também se não quiser ou não se sentir pronta, não tem que assumir nada pra ninguém. Pra nada. Somente pra você. O que você quer. Na hora que você quiser.

Já parou pra pensar no que você deseja ser?
O que te faz feliz?
Como ser quem você é te torna feliz.
Eu sou?????

Eu sou Kátiah Eronn. Sou um ser humano como você é. Sem rótulos. Sem regras. Sem limitações. Mas, com um Deus tão lindo dentro de meu coração e na minha vida.

PS: não estou aqui criando conflitos entre ninguém. Mas, estou aqui, me libertando de pessoas que vivem querendo definir a felicidade dos outros e pessoas que acham que pode decidir de que forma os outros podem ser felizes e se amarem.

Não levanto bandeiras de opções alguma.
Eu levanto a bandeira da PAZ.
Eu levanto a bandeira do AMOR.
Eu levanto a bandeira da FELICIDADE.


Muito prazer!